Viriato

Os lusitanos eram povos de várias tribos que habitavam no oeste e noroeste da Península Ibérica antes de estas terras serem conquistadas pelos romanos.

Desde crianças, os membros deste povo trabalhavam como pastores.

Depois, à medida que iam crescendo eram treinados para a caça e por fim, quando se tornavam jovens fortes, eles eram treinados como guerreiros mercenários.

Tinham uma forma de lutar muito aguerrida e sempre ofensiva, e constantemente havia lutas entre tribos lusitanas e também com outras tribos vizinhas com o objetivo de conquistar essas terras.

Quando os romanos invadiram a Península Ibérica, eles foram conquistando progressivamente as terras do leste e do sul.

No entanto, quando chegaram às tribos lusitanos, a dificuldade aumentou.

Essas tribos, que sempre haviam lutado entre si, uniram-se numa causa que era comum a todas elas: a luta contra os ameaçadores exércitos romanos.

Até conquistarem os terrenos das tribos lusitanas, os romanos tiveram que guerrear durante vários anos e, por fim, conseguiram o que tanto queriam mas, através de uma trama que envolvia traição.

Entre os lusitanos houve um guerreiro que se destacou na luta contra os romanos.

O seu nome era Viriato.

História de Viriato

Viriato era um aristocrata, proprietário de várias cabeças de gado, que quando criança, à semelhança de todos os lusitanos, tinha sido pastor.

Mais tarde, ele tornou-se caçador e depois guerreiro.

Imagem da Estátua de Viriato em Viseu (Autor: Nuno Tavares)

Imagem da Estátua de Viriato em Viseu (Autor: Nuno Tavares)

Os lusitanos homenagearam Viriato com os títulos de Salvador e Benfeitor, à semelhança do que costumava acontecer com os reis de alguns povos da Europa.

Não sendo o rei dos lusitanos, Viriato era mesmo assim o seu líder durante o tempo em que esses povos se uniram na luta contra Roma.

O seu passado como pastor era semelhante ao dos grandes líderes de outras civilizações tais como Rómulo de Roma e Davi de Israel. Esse passado conferia-lhes qualidades especiais como governantes pela forma como lidavam e defendiam os seus povos de quaisquer ameaças.

Segundo diversos historiadores, Viriato era um homem que seguia princípios de honestidade, justo e que sempre cumpria com os tratados e alianças que fazia com outros povos.

Por isso, ele detestava os romanos que, diversas vezes, não cumpriram com os acordos estabelecidos entre ele e os seus representantes.

Viriato – O Guerreiro

Após ser eleito chefe dos lusitanos, Viriato começou por defender as suas montanhas das investidas de Roma e depois passou ao ataque.

O objetivo era conquistar às terras à volta das tribos lusitanas para ampliar a área do campo de batalha e assim afastar as zonas de combate das suas terras.

Em 147 A.C., os lusitanos renderam-se perante as tropas de Caio Vetílio, que os haviam cercado. Mas, Viriato opôs-se terminantemente contra essa derrota. Ele organizou as suas tropas e foi lutar contra os romanos, acabando por derrotá-los no desfiladeiro de Ronda, que faz a separação entre a planície de Guadalquivir e a costa marítima da Andaluzia, onde acabaria por matar o próprio Caio Vetílio.

Depois deste, as tropas de Viriato foram derrotando vez após vez as forças romanas sob os comandos de Caio Pláucio, Cláudio Unimano, Caio Nigidio e Fábio Máximo.

Em 140 A.C., os lusitanos comandados por Viriato infligiram uma pesada derrota sobre Fábio Máximo Servilliano, matando cerca de 3000 romanos em combate. Perante isso, Servilliano rende-se e em troca da sua vida ele oferece a Viriato promessas e garantias da autonomia dos lusitanos.

Mas, quando a notícia deste tratado chegou a Roma, o Senado considerou-o demasiado humilhante e, voltando atrás com a sua palavra, declara novamente guerra aos lusitanos.

Desta feita, em 139 A.C., Roma enviou o general Servílio Cipião, mas este também continua a ser constantemente derrotado por Viriato, de modo que, Viriato decide enviar três comissários da sua confiança, Audas,  Ditalco e Minuros, com o objetivo de forçar Cipião a pedir uma nova paz.

Mas, Cipião recorreu ao suborno destes comissários e prometeu-lhes que dava uma recompensa se estes matassem Viriato. E assim aconteceu! Enquanto Viriato dormia, estes homens assassinaram-no, trazendo um desfecho trágico para Viriato e para os lusitanos. Mas este desfecho era também muito vergonhoso para Roma pois como uma superpotência que era, recorrer a suborno era algo desastroso.

Morte de Viriato, Rei da Lusitânia (Autor: José de Madrazo)

Morte de Viriato, Rei da Lusitânia (Autor: José de Madrazo)

Depois da morte de Viriato, o exército lusitano passou a ser comandado por Táutalo Sertório.

Mas as tropas lusitanas estavam muito enfraquecidas moralmente e acabaram por ser derrotadas. Quanto aos traidores, eles refugiaram-se em Roma após o assassinato de Viriato, reclamando o prémio prometido.

No entanto, os romanos ordenaram a sua execução em praça pública, onde ficaram expostos com os dizeres “Roma não paga a traidores”.

Dos lusitanos, pouco resta no país que hoje se chama Portugal, com excepção da sua denominação de Lusos e da conhecida personagem de Viriato.

Não Encontrou o Que Estava Procurando? Tente o Google!

Marcados com: , , ,
Publicado em Ilustres de Portugal, Últimos
17 comentários sobre “Viriato
  1. Leonor Duarte disse:

    muito bom vai fazer jeito para o teste de estudo do meio………………………..

  2. Luis Filipe Martins disse:

    Onde estao os descendentes de Viriato? Sera que hoje procuram todos emigrar porque nesta terra nao corre leite e mel? Sera que Portugal esta tanto pobre porque vive sem Portugueses?. Depois de tantos anos compreendemos que nao construimos uma boa sociedade porque as pessoas nao valem tanto. Nao encontramos a verdadeira Liberdade, e entre nos, nao existe o Amor. Todos que desejam uma terra melhor, mas onde cada um esquece depois de Dar o seu contributo. Quando Viriato olha cada um de nos pode ate ter desculpado por o termos traido, mas nao pode que observar, que multiplicamos tantos problemas. “Vivemos” sem uma estrategia, e que cada um vai por sua conta , procurando a “salvaÇao”. Mas sem unidade, e sem conhecermos valores verdadeiros. So pessoas verdadeiras podem multiplicar a Vida.

  3. Marcelo Santana disse:

    Quero agradecer imenso a quem criou este site e disponibilizou esta informaçao valiosa, auxiliou-me muito para um trabalho escolar. Está tudo organizado, estruturado e o texto lê-se facilmente sem nos aborrecer. Quanta a Historia eu acho-a cativante mas triste, me emocionou um pouco esta tragedia que aconteceu ao grande Viriato. Como todos sabemos os Romanos eram um povo desonesto,cruel, que deixou destruiçao e magoa por onde passou. Felizmente nada e para sempre e eles acabaram por ser derrotados. Dei nota maxima ! Amei

  4. O Viriato era certamente um homem potente! Grato pela tua apreciação.

  5. daniel disse:

    Viriato foi o rei do lusitanos

  6. TBM disse:

    Os mesmo que faziam parte da zénite do tempo de Viriato são os mesmo que permanecem na zénite hoje. Já está na altura de darmos a conhecer a raça deste povo a estes governantes vendidos não?
    Vamos a isso? Já é tempo de tomarmos o que é nosso. Luis Filipe um bem haja pela tenacidade que pouco se ve por aí neste país de portugueses “fugidios”

  7. Jorge Melo disse:

    O bravo Viriato resistiu aos romanos e só caiu devido ao embuste. Que os atuais portugueses, descendentes ou não de Viriato, sigam seu exemplo. Inexoravelmente, o império romano já estava previsto na Bíblia, mais precisamente no capítulo que fala da estátua do sonho de Nabucodonozor: era a parte de ferro da estátua e dos pés misturado com barro e ferro. Sabemos que o ferro esmiuça tudo. No mesmo capítulo é revelado que uma pedra, destacada de um monte, sem mão, fere os pés da estátua e essa desmorona, terminando por se despedaçar e o vento espalhar o seu pó. A Pedra, que fala a Escritura, é Jesus Cristo, o Filho de Deus. Diz ainda que a pedrinha cresceu e ocupou toda a Terra.

  8. l. souza disse:

    Lusitanos espanhóis são por autores das historias das gentes antigas da ibéria, se os lusitanos são gente espanhola nãosão portugueses , nós portugueses portugueses descendentes dos VISIGODOS e GODOS viemos. Aos lusitanos espanhóis dizemos vão para a ESpanha sua pátria. Lusitanos -espanhóis estrangeiros indignos. Recordemos, ALJUBARROTA ! ,ALJUBARROTA !, ALJUBARROTA !.

  9. Joana Faria Rebelo disse:

    muito informativo este resumo

  10. Liliana disse:

    Foi muito bom para o teste de Estudo do Meio ela teve 5 !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! :)

  11. imsoawesome disse:

    Romanos… sempre o mesmo!

  12. Sterling disse:

    Agradeço muito a quem fez este site.Ajuda muito para as pessoas que necessitam de fazer um trabalho e apresentar ao professor,como no meu caso.

  13. antonio Baptista disse:

    A sessenta e cinco,sai da escola primaria,nao. esqueci a Vida de Viriato,porem e de louvar o seu depoimento deste site

    .Bem haja.

  14. Luís disse:

    A bravura dos portugueses ao longo da História tem a ver certamente com a bravura de Viriato, que está glorificado no majestoso arco triunfal da Rua Augusta. Um dos grandes da nação lusitana! Que o portugueses (sucessores dos lusitanos) de hoje em dia e do futuro saibam estar à altura deste SENHOR.

  15. Lusitano de gema! disse:

    Excelente!
    Não sou um Historiador! Mas sou, há décadas – mais de 50 anos – muito estudioso sobre a História! O meu “gosto” pela História, começou aos 15 anos, graças a um (suponho que já falecido) PROFESSOR de História que tive e que tinha uma “alcunha” que era “CHANICO” e as suas aulas eram tão FANTÁSTICAS que (eu que sou mais virado para as matemáticas) nem precisava de estudar para ter notas ALTAS! Foi (o) meu Professor vários ANOS e … não me lembro dum dia que fosse a estudar História, porque saía das aulas e tinha PERCEBIDO TUDO sempre com “notas altas” e “nasceu em mim o bicho de estudar História”! Daí, para cá, (e sem pretensiosismos) aprendi bastante e quando parar de apender, seja de História ou de qualquer outro assunto, só há UMA de duas “razões”! Ou “já cá não estou” ou perdi as minhas “faculdades de pensar”! Não me lembro de UM DIA que seja em que não aprendi alguma coisa! Leio muito e TODOS OS DIAS!
    Há dias, estive a assistir, na TV a um jogo (Futsal) entre (calhou) Portugal e Espanha! ANTES de o jogo começar “sabia” já, quem ia ganhar! Durante algum tempo, Portugal esteve “a perder” (2-1) e, ao longo desse tempo eu disse: Vamos ganhar! É só uma questão de tempo e não me enganei! Razão? SIMPLES! De TUDO o que estudei, a tal tribo de Lusitanos, sempre viveu com “conflitos internos” mas, quando as tais “divergências internas” deixam de contar e se unem em redor duma causa (seja ela qual for) são INVENCÍVEIS!
    No final, percam as batalhas que perderem, acabam SEMPRE vencedores!
    “Reza a História” que, ao longo do tempo em que o Império Romano “existiu” e se foi expandido até acabar, um dos relatórios que chegou a Roma, dizia que “havia um povo na Ibéria que nem se deixava governar e nem sabia governar-se”! Esse “povo” eram os Lusitanos (que eram “várias tribos” mas que no seu conjunto se chamavam Lusitanos)! O Tempo “não pára”!
    Séculos mais tarde, “os descendentes dos Lusitanos” tiveram um Líder que se chamava Afonso Henriques! Para se “tornar Líder” enfrentou a guerra (contra os – supostos – “apoiantes da mãe”) acabando com a já tradicional “guerra interna” (que, dura até aos dias de hoje) e, diz a História, “nasceu o Nação Portuguesa”!
    PENSO que Portugal é uma NAÇÃO (no mínimo) MILENAR!
    Desde quando? Seguramente que … ANTES de 200 A.C.!
    Não tenho a MÍNIMA “pretensão de ensinar nada a ninguém”!
    O que escrevo é SÓ … o que tenho como CERTO! Viriato foi “alvo” de uma traição? O “mesmo povo” tem centenas (várias) de “repetições de traições” … DIGO EU!
    Obrigado por ter tido a “pachorra” de ler!
    Para terminar: VIVA PORTUGAL!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Newsletter
Questionário

Ponte 25 de Abril ou Ponte Salazar?

View Results

Carregando ... Carregando ...
Publicidade
Acerca
Bem-vindo ao HistóriaDePortugal.info, um portal informativo dedicado exclusivamente à História de Portugal.

Temos como objectivo ser o recurso mais completo na Internet sobre a História de Portugal.


Partilhar história
A História de Portugal está pouco divulgada na Internet. Ajude o HistoriaDePortugal.info a expandir através da partilha do seu conhecimento. Contamos com a sua ajuda!

Criar artigo