Universidade de Coimbra

A ratificação da fundação da Universidade de Coimbra realizou-se a 1 de Março de 1290, através de diploma régio emitido por D. Dinis, Rei de Portugal.

Deste modo, Coimbra possui o mais antigo estabelecimento de ensino superior em Portugal, apesar de, durante toda a Idade Média, os estudos universitários terem oscilado entre esta cidade e Lisboa.

No ano de 1537, o rei D. João III transferiu definitivamente a Universidade para a Lusa-Atenas, consolidando assim a tradição escolar anterior da cidade e afirmando, ao mesmo tempo, a sua autonomia.

Situado no topo de uma colina, o Paço da Alcáçova – antigo palácio medieval onde permaneciam os reis durante a sua estadia em Coimbra – foi o edifício eleito para acolher a Universidade de Coimbra, vindo a sofrer obras de remodelação nos reinados de D. Manuel I e D. João III.

Deste modo, Coimbra crescia à sombra da sua Universidade de Coimbra, ao mesmo tempo que os edifícios escolares eram objeto de reformas nos séculos XVII e XVIII.

Características da Universidade de Coimbra

A Porta Férrea, que estabelece o acesso ao pátio das escolas, integra alegorias que se referem às faculdades de Medicina e de Leis no exterior e às faculdades de Teologia e Cânones no interior, para além de estátuas dos reis que as estabeleceram, D. Dinis e D. João III, e ainda figura da Sapiência que coroa todo este conjunto.

Coimbra possui o mais antigo estabelecimento de ensino superior em Portugal, apesar de, durante toda a Idade Média, os estudos universitários terem oscilado entre esta cidade e Lisboa (Autor: Leandro's World Tour)

Coimbra possui o mais antigo estabelecimento de ensino superior em Portugal, apesar de, durante toda a Idade Média, os estudos universitários terem oscilado entre esta cidade e Lisboa (Autor: Leandro’s World Tour)

No lado esquerdo da fachada encontra-se o Colégio de S. Pedro, uma construção maneirista de linhas simples que foi edificada sobre os antigos aposentos palacianos dos Infantes, servindo até 1834 como albergue dos candidatos às diversas faculdades.

A partir de 1855, uma parte das suas instalações da Universidade de Coimbra serviu como aposentos da família real e como residência dos diversos reitores.

Entrando no Pátio das Escolas vemos, ao lado direito, a Via Latina, no centro da qual se ergue uma escadaria nobre conducente a um corpo porticado e rematado por frontão triangular.

Nesse espaço destaca-se um retábulo escultórico em pedra, obra do escultor francês Claude Laprade e executada em 1701.

Através da Via Latina podemos aceder à Reitoria e às suas dependências, reformuladas, na sua maior parte, na Reforma Pombalina de 1773, durante o reitorado de D. Francisco de Lemos. Por via também se pode chegar à Sala dos Capelos, lugar onde costumam decorrer as mais significativas cerimónias da vida académica.

Esta sala ocupa o espaço do antigo salão nobre do paço manuelino, edificado por Marcos Pires durante a segunda década do século XVI. Na galeria superior do salão podemos observar grandes telas com todos os reis de Portugal, pintados, até D. João IV, por Carlos Falch. Os restantes foram pintados por diversos artistas nacionais.

De volta à Via Latina, caminhamos em direção à área das antigas salas de aula, dispostas em torno de um claustro de dois pisos. Estas ocuparam as antigas instalações do paço da rainha.

Um dos ex-libris da cidade de Coimbra é a Torre da Universidade de Coimbra, que foi erguida num dos ângulos do Pátio das Escolas. Na continuidade da torre encontramos a Capela de S. Miguel, um templo de estilo manuelino que ocupa a área de um oratório do paço medieval.

O seu portal nobre é uma composição manuelina naturalista, de arco polilobado e colunas torsas, onde se encontram inseridos símbolos relativos à “crucificação” de Cristo e à heráldica de D. Manuel I.

No átrio interno da capela encontramos a entrada de uma dependência que foi convertida em Museu de Arte Sacra e onde se podem admirar algumas das melhores obras de ourivesaria, paramentaria e pintura pertencentes ao acervo deste estabelecimento universitário.

Na continuidade da Capela de S. Miguel ergue-se a magnífica Livraria da Universidade de Coimbra, mais conhecida como Biblioteca Joanina, um empreendimento barroco concretizado entre 1717 e 1728, sob o patrocínio de D. João V.

O imponente interior barroco reparte-se por três salas quadrangulares, divididas por arcos de volta perfeita, onde podemos ver emblemas universitários em talha dourada, sobrepujados por coroa real de D. João V.

Mas, mais importante do que a riqueza dos materiais e do requinte artístico da decoração barroca, a Biblioteca Joanina possui também alguns dos mais raros e importantes livros existentes em fundos bibliográficos nacionais, podendo-se assim dizer que é, sem sombra de dúvidas, um verdadeiro templo artístico consagrado ao saber humano.

Ainda hoje, no nosso país, quando se fala em Universidade vem-nos logo à mente a Universidade de Coimbra – a mãe do ensino superior em Portugal.

Imagens da Universidade de Coimbra

Não Encontrou o Que Estava Procurando? Tente o Google!

Marcados com: , ,
Publicado em Universidades de Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Newsletter
Questionário

Ponte 25 de Abril ou Ponte Salazar?

View Results

Carregando ... Carregando ...
Publicidade
Acerca
Bem-vindo ao HistóriaDePortugal.info, um portal informativo dedicado exclusivamente à História de Portugal.

Temos como objectivo ser o recurso mais completo na Internet sobre a História de Portugal.


Partilhar história
A História de Portugal está pouco divulgada na Internet. Ajude o HistoriaDePortugal.info a expandir através da partilha do seu conhecimento. Contamos com a sua ajuda!

Criar artigo