Torre de Belém

A Torre de Belém, é uma das sete maravilhas de Portugal, tendo também sido considerada pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade.

É, sem margem para dúvidas, um dos monumentos que melhor identificam Lisboa, a capital portuguesa.

Hoje nós podemos visitar a Torre de Belém numa das zonas mais belas de Lisboa mas, nem sempre foi assim. Inicialmente, a Torre de Belém foi construída na margem direita do rio Tejo, junto à praia de Belém e todo o seu perímetro ficava rodeado pelo rio.

No entanto, o rio foi deixando areia alojada à sua volta, de modo que, com o tempo, a praia de Belém passou a estender-se até à Torre.

Hoje, quando visitamos este local, temos terra firme a norte, a nascente e a poente, enquanto que, a sul, a Torre encontra-se cercada pelo Tejo.

Este é um monumento de estilo manuelino que se destaca pelo nacionalismo nele implícito, sendo que é rodeado por decorações por decorações com o Brasão de Armas de Portugal.

Nas janelas de baluarte podemos ver inscritas cruzes da Ordem de Cristo.

Quando observamos este monumento, pela sua arquitetura, podemos notar a extravagância com que se vivia em Portugal na época em que a Torre foi construída – o início da Idade Moderna, quando Portugal era uma potência global.

História da Torre de Belém

Imagem 1 - Torre de Belém

Imagem 1 – Torre de Belém

Inicialmente, a Torre de Belém foi projetada para integrar o sistema defensivo da Barra do rio Tejo, sistema esse que havia sido projetado por D. João II e que era integradona margem direita do rio pelo Baluarte de Cascais e na margem esquerda pelo Baluarte da Caparica.

No entanto, foi apenas em 1514, já sob o reinado de D. Manuel I, que a Torre começou a ser construída. A sua localização era sobre um conjunto de rochas na águas do rio, onde anteiormente se encontrava uma antiga nau artilhada, que aí se encontrava ancorada e de onde costumavam partir as frotas para as Índias.

O arquiteto que projetou a Torre de Belém foi Francisco de Arruda, ficando as obras a cargo de Diogo Boitaca, que nessa altura dirigia também as obras do Mosteiro dos Jerónimos, em terra firme, junto à praia de Belém. As obras da Torre de Belém ficaram concluídas no ano 1520.

Obviamente, à medida que os meios de ataque e de defesa foram evoluindo, a função defensiva para a qual a Torre de Belém foi projetada ficou obsoleta. No entanto, esse espaço continuou a ser usado a favor dos interesses do Reino. Entre outras funções, a Torre de Belém chegou a servir como posto de sinalização telegráfico e farol. Além disso, os seus paióis foram utilizados como masmorras para presos políticos.

Ao longo dos séculos, a Torre de Belém foi sofrendo várias reformas, sendo que, durante o século XVIII, foram reformados o nicho da Virgem virado para o rio, o varandim do baluarte, as ameias e o claustrim.

Caraterísticas da Torre de Belém

Como todos os monumentos de estilo manuelino, vemos aí refletidas as influências islâmicas e orientais, marcando o fim da tradição medieval com as suas torres de menagem e ensaiando uma das primeiras fortalezas do país.

O seu exterior é caraterizado por várias esculturas alusivas aos descobrimentos, tais como cordas e nós e também pelas ameias em forma de escudos, com esferas armilares, torres de vigia no estilo mourisco. Aí podemos também a primeira representação de um rinoceronte encontrada na Europa.

Imagem 2 - Torre de Belém

Imagem 2 – Torre de Belém

A estrutura da Torre de Belém é composta por dois elementos principais: a torre e o baluarte. Sendo que nos cantos do terraço encontram-se guaritas de formato cilíndrico, decoradas em cantaria de pedra.

O interior da torre encontra-se dividido em cinco pavimentos, os quais se encontram dispostos na seguinte ordem (de baixo para cima): Sala do Governador, Sala dos Reis, Sala de Audiências, Capela e Terraço da Torre.

Quanto à nave do baluarte, é ventilado por um claustrim, abrindo 16 canhoeiras para tiro rasante de artilharia. O terrapleno encontra-se guarnecido por ameias e constitui a segunda linha de fogo. É aí que podemos encontrar o Santuário à Virgem do Restelo.

Envolvência da Torre de Belém

Basta dizer que a Torre de Belém está classificada como Património da Humanidade pela UNESCO que já será motivo suficiente para abrir o apetite de qualquer pessoa para visitar esse monumento.

No entanto, essa foi uma classificação conjunta com o Mosteiro dos Jerónimos. Portanto esse será um outro local que vale a pena visitar.

Imagem 3 - Torre de Belém

Imagem 3 – Torre de Belém

Depois de visitar o Mosteiro dos Jerónimos, você concerteza ficará cansado.

Por isso, nada como parar para descansar e passear nos extensos jardins de Belém, que ficam entre a Torre e o Mosteiro.

Bem perto, você poderá ainda encontrar o Palácio de Belém, a residência oficial do Presidente da República. Além disso, quem vem a este lugar, não pode ir embora sem parar para provar um dos famosos, deliciosos e pouco calóricos (comparativamente com a maioria dos doces portugueses) – o Pastel de Belém.

Imagens da Torre de Belém

Vídeo da Torre de Belém

Não Encontrou o Que Estava Procurando? Tente o Google!

Marcados com: , ,
Publicado em Torres de Portugal
Um comentário sobre “Torre de Belém
  1. José Ramos disse:

    Um bem elaborado estudo sobre a Torre de Belém!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Newsletter
Questionário

Ponte 25 de Abril ou Ponte Salazar?

View Results

Carregando ... Carregando ...
Publicidade
Acerca
Bem-vindo ao HistóriaDePortugal.info, um portal informativo dedicado exclusivamente à História de Portugal.

Temos como objectivo ser o recurso mais completo na Internet sobre a História de Portugal.


Partilhar história
A História de Portugal está pouco divulgada na Internet. Ajude o HistoriaDePortugal.info a expandir através da partilha do seu conhecimento. Contamos com a sua ajuda!

Criar artigo