Sintra

Localizada no distrito de Lisboa, a vila portuguesa de Sintra é considerada como um dos locais mais privilegiados para o turismo e o lazer do país.

Possui umas condições excepcionais de localização geográfica e qualidades ambientais que possibilitaram seu povoamento desde tempos remotos.

A Vila inclui dentro de seus territórios o sítio Paisagem Cultural de Sintra, reconhecido em 1995 como Patrimônio Mundial pela Unesco.

A categoria única do reconhecimento criada especificamente para esta mistura de paisagem natural e patrimônio cultural, a de “Paisagem cultural”, abrange parte da Serra de Sintra, incluindo o centro histórico da vila e dos seus monumentos, envolvido tudo de forma harmoniosa com a vegetação própia do local, constituindo um extraordinário complexo arquitectônico e natural sem precedentes.

[-] Tabela de Conteúdos

Origens Remotas de Sintra

Preservadas através do tempo, a presença de vestígios arqueológicos em Sintra constatam sua ocupação ao longo de todas as épocas da história portuguesa.

Do neolítico até nossos dias, existem rastros de inúmeras civilizações que passaram para a Península Ibérica e que ocuparam esta região e que permitem atestar sua antiguidade.

Mas foi durante o domínio árabe que foi referida a existência da vila em diversos textos muçulmanos, apresentando-a como um dos centros urbanos mais importantes da região, depois de Lisboa.

Localizada no distrito de Lisboa, a vila portuguesa de Sintra é considerada como um dos locais mais privilegiados para o turismo e o lazer do país

Localizada no distrito de Lisboa, a vila portuguesa de Sintra é considerada como um dos locais mais privilegiados para o turismo e o lazer do país

Nestes textos é conhecida antigamente como Xintara ou Shantara, aparecendo a designação de “Suntria” a partir da época medieval, termos que apontam para a significação topônima de “astro luminoso” ou “sol”.

Posteriormente, com a reconquista cristã por parte de D. Afonso VI Sintra foi entregada pelos mouros junto com Santarém em 1093, sendo definitivamente integrada aos cristãos durante o mandato de D. Afonso Henriques no ano de 1147, junto com a cidade de Lisboa, logo de inúmeras tentativas de recuperação e retoma por parte dos islâmicos, devido em grande parte a suas qualidades estratégicas e defensivas.  Já para o ano de 1154 o Rei outorga a Carta Foral, estabelecendo o Concelho da cidade.

Desenvolvimento da Vila

Logo da retomada de D. Afonso Henriques, a vila de Sintra passou por um período de grande crescimento. D. Afonso Henriques ordenou a construção de conventos, mosteiros e o asentamento de várias ordens militares, como a da Ordem do Templo, numa série de decisões que pretendiam a reconfiguração do território reconquistado.

É a partir do reinado de D. Dinis que a vila começou seu período de desenvolvimento mais significativo. O Castelo dos Mouros, antiga construção muçulmana, foi transformado no Paço Real, residência dos monarcas durante as férias. Logo da doação de D. Dinis para a Rainha Santa Isabel, no Paço foi empreendido um projeto de restauração e ampliação que será apreciado e utilizado pelos futuros nobres e monarcas do reino português.

Mas a época de maior destaque de Sintra aconteceu durante o século XIX, período onde a região foi redescoberta e recuperada, não só para o país, mas sim para Europa inteira. Os visitantes naquela época, influenciados pelo espírito romântico da época retomam o exotismo do local e do seu clima. O ponto culminante de recuperação de Sintra foi dado pela construção do Palácio da Pena, peça única e marcante do romantismo português, junto com o Palácio de Monserrate, construído em 1858. A importância de Sintra como local de veraneio e lazer aristocrata, acentou-se definitivamente com a construção do caminho-de-ferro, inaugurado finalmente em 1887, logo de várias tentativas de execução.

Entrada no Século XX

Já no princípio do século XX o milionário Carvalho Monteiro edificou em Sintra a Quinta da Regaleira, um palacete de luxo de arquitetura neo-manuelina.

O Centro Histórico da cidade se encontra protegido desde 1949 pelo Plano de Urbanização de Sintra, projeto que abrange tanto os monumentos históricos e a Paisagem Cultural, quanto parte dos bairros mais representativos da vila velha, como são os bairros de São Pedro de Penaferrim, o bairro da Estefânea e o da Portela.

Imagens de Sintra

Vídeo de Sintra

https://www.youtube.com/watch?v=5y9ln_NrF40

Partilha!Share on Facebook228Share on Google+1Tweet about this on TwitterShare on Tumblr0Pin on Pinterest0Share on LinkedIn0Share on Reddit0Share on VKEmail this to someone

Não Encontrou o Que Estava Procurando? Tente o Google!

Marcados com: ,
Publicado em História de Portugal, Últimos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Newsletter
Questionário

Ponte 25 de Abril ou Ponte Salazar?

View Results

Carregando ... Carregando ...
Publicidade
Acerca
Bem-vindo ao HistóriaDePortugal.info, um portal informativo dedicado exclusivamente à História de Portugal.

Temos como objectivo ser o recurso mais completo na Internet sobre a História de Portugal.


Partilhar história
A História de Portugal está pouco divulgada na Internet. Ajude o HistoriaDePortugal.info a expandir através da partilha do seu conhecimento. Contamos com a sua ajuda!

Criar artigo