Ruínas Romanas de Milreu

A costa algarvia é uma das regiões do país que mais atrai turistas e já ganhou reconhecimento internacional.

Só que, ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, o Algarve tem muito mais para descobrir, além das praias, do calor, do golf e dos resorts turísticos.

Estói é uma das pequenas vilas históricas que se escondem nesta zona e que merecem ser conhecidas.

Esta localidade fica a escassos quilómetros da cidade de Faro e esconde uma das provas da passagem dos Romanos por Portugal: As Ruínas de Milreu.

Descoberta e Localização das Ruínas Romanas de Milreu

As Ruínas Romanas de Milreu situam-se a Norte de Faro, numa pequena localidade chamada Estói, junto da estrada que conduz a S. Brás de Alportel.

Em tempos, este local era utilizado para exploração agrícola, englobando, porém, uma zona de residências rurais que se foi alargando gradualmente.

Recebeu as grandes casas de agricultores e senhorios abastados, decoradas com mármore e azulejos.

Na verdade, as ruínas foram encontradas bem cedo, decorria o ano de 1877.

A descoberta foi do arqueólogo Estácio da Veiga que mandou iniciar as escavações logo nessa data.

História e Características das Ruínas Romanas de Milreu

Este conjunto arqueológico representa, provavelmente, o mais relevante vestígio da passagem dos romanos pelo Algarve.

Por essa razão, as Ruínas de Milreu foram classificadas como monumento nacional em 1910.

Ruínas Romanas de Milreu (Autor: João Carvalho)

Ruínas Romanas de Milreu (Autor: João Carvalho)

A “villa” que aqui se pode encontrar data, segundo os especialistas, do século I d.C., tendo-se mantido habitada até cerca do século IV.

Constitui-se por uma grande “casa senhorial”, um balneário e termas, um templo e algumas instalações agrícolas.

A principal característica que distingue estas ruínas são os mosaicos usados na decoração e que assumem diversos padrões, desde as formas geométricas aos arcos e nós entrançados, passando pelos peixes e desenhos de xadrez.

A “villa” está construída em torno de um peristilo central com ligação direta às termas.

Esse peristilo compõe-se por vinte e duas colunas que ladeiam um pátio aberto e um jardim.

Visitar as Ruínas Romanas de Milreu

Além de explorar as ruínas, o Centro Interpretativo de Milreu possibilita que os visitantes descubram alguns aspetos do quotidiano da “villa” romana.

É visitado, anualmente, por cerca de doze mil pessoas.

Pode ser conhecido de terça a domingo até às 17h, no Inverno, ou até às 18h, de Maio a Setembro.

Se o fizer num domingo ou num feriado até ao meio dia, poderá entrar sem pagar.

Não Encontrou o Que Estava Procurando? Tente o Google!

Marcados com: ,
Publicado em Romanização
Um comentário sobre “Ruínas Romanas de Milreu
  1. Joana Flores disse:

    esta irfonmacao e muito bem explicativa mas tên muintos enros hortogrificos. Mas naum tem mal proque o gloogle traducao currijiu todos os enros. Mas tinve boa nota no meu travalho. Obringado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Newsletter
Questionário

Ponte 25 de Abril ou Ponte Salazar?

View Results

Carregando ... Carregando ...
Publicidade
Acerca
Bem-vindo ao HistóriaDePortugal.info, um portal informativo dedicado exclusivamente à História de Portugal.

Temos como objectivo ser o recurso mais completo na Internet sobre a História de Portugal.


Partilhar história
A História de Portugal está pouco divulgada na Internet. Ajude o HistoriaDePortugal.info a expandir através da partilha do seu conhecimento. Contamos com a sua ajuda!

Criar artigo