Ramalho Eanes

Ramalho Eanes (António dos Santos Ramalho Eanes) foi o primeiro Presidente da República eleito por votação democrática em 1976, após da Revolução de 1974.

Exerceu o cargo até 1986, logo de dois mandatos presidenciais onde assentaria os fundamentos para a consolidação da democracia em Portugal.

Nasceu em Alcains em 1935, concelho de Castelo Branco.

Logo de culminar seus estudos secundários, ingressou na Escola de Exército na divisão de Oficial de Infantaria (agora conhecida como Academia Militar) no ano de 1953.

Na Escola assistiu a diversos cursos de estratégias militares como o Curso de Instrução de Operações Especiais em 1962, o Curso de Guerra Subversiva e o Curso para Instrutor de Ação Psicológica no Instituto de Estudos Militares, todos no mesmo ano.

Ramalho Eanes

Ramalho Eanes

Em 1972 realizou o Estágio de atualização para Oficial Superior.

No seu desempenho no exército passou por diferentes promoções militares, do alferes em 1957 até receber o a graduação a general de quatro estrelas em 1975 e a promoção a general em 1978.

Em 2000 recusou a promoção para Marechal por motivações éticas e políticas.

Formação Militar de Ramalho Eanes

Pouco depois foi comissionado para prestar serviços durante a Guerra Colonial em Macau, a Índia Portuguesa, Goa, Moçambique, Guiné-Bissau e Angola.

Neste último país se encontrava combatendo no momento da Revolução dos Cravos, em 1974.

Retornou então a Portugal aderido ao Movimento das Forças Armadas e já em Lisboa é assignado na comissão ad hoc para os Meios de Comunicação Social para logo ser colocado como diretor de programas da Rádio e Televisão de Portugal (RTP), onde posteriormente presidirá o Conselho de Administração, cargo que ocupará até 1975 quando apresenta sua demissão de suas funções por causa de acusações sob sua implicação nos acontecimentos do 11 de março.

Em 25 de novembro de 1975 é nomeado Chefe do Estado Maior do Exército, para dirigir as operações em contra do setor mais radical da extrema-esquerda do Movimento das Forças Armadas (MFA). Devido em grande parte pelo sucesso do plano militar em resposta deste ataque é escolhido pelo Conselho da Revolução para participar como candidato nas primeiras eleições presidenciais de maneira independente, mas com apoio dos principais movimentos políticos portugueses.

É declarado vencedor das eleições com mais do 60% dos votos, perante dos outros candidatos.  Para sua segunda reeleição em 1980, contou com mais do 56% da votação.

Mandato Presidencial de Ramalho Eanes

Aproveitou seus cargos em paralelo na Presidência da República (1976-1986), no Conselho da Revolução (1976-1982) e nas Forças Armadas (1976-1980), para levar a cabo o plano de restruturação para reconduzir o exército para sua função tradicional e ao país para o processo de democratização, ainda em estado embrionário logo do período da ditadura.

Igualmente, no seu primeiro mandato também é discutida a revisão constitucional do que resultará, não sem polémica, a extinção do Conselho da Revolução, organismo chefiado por ele.

Uma de suas primeiras ações de mandato foi o investimento do primeiro Governo de tipo Constitucional, cargo designado a Mário Soares e prolongado por dois períodos consecutivos estabelecidos por acordo entre partidos. Soares será demitido em 1978 logo de sua recusa para deixar o poder o que quebra a coligação governamental, fato que gera uma série de crises dentro do executivo e várias tentativas de Ramalho Eanes por ultrapassá-las sem resultados positivos.

Em 1979 Ramalho Eanes realiza a nomeação do V Governo, numa última tentativa pela continuação de estabelecer um executivo por iniciativa presidencial. No mesmo ano, finalmente decide convocar eleições, onde é designado como Primeiro-Ministro Sá Carneiro, membro da Aliança Democrática e forte opositor do Presidente, mas infelizmente Sá Carneiro morre num acidente aéreo, menos de um ano depois de sua eleição.

Atividade Atual de Ramalho Eanes

Nos fins do seu segundo mandato, assumiu a Presidência do Partido Renovador Democrático, cargo que ocuparia somente durante um ano.

Em 2006 obteve o doutorado em Ciência Política na Universidade de Navarra na Espanha e em 2010 recebeu o título de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Lisboa.

Atualmente é Conselheiro de Estado e Presidente do Conselho de Curadores do Instituto Universitário de Lisboa.

Não Encontrou o Que Estava Procurando? Tente o Google!

Marcados com: ,
Publicado em Presidentes da Républica, Últimos
2 comentários sobre “Ramalho Eanes
  1. Manuela Almeida Ferreira disse:

    Necessito entrar em contacto com o Sr. General Ramalho Eanes e a Esposa, Doutora Manuela Eanes, mas como obterei um endereço electrónico ou um número de telefone?

    Ficarei muito grata a quem me puder auxiliar.

    Manuela Almeida Ferreira
    Licenciada em História por Coimbra e Mestre em Arqueologia por Lovaina
    Técnica Superior Aposentada
    Residente em Coimbra

  2. Alexandre Lima disse:

    Excelencia Alexandre Lima, Policia Militar que serviu no tempo em que V. Exa ocupava o lugar de Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas peço autorizaçao para criar um movimento no sentido de divulgar a candidatura de S. Ex a Chefe de Estado
    Grato por uma resposta urgente, Portugal precisa de V. Excelencia
    Alexandre Lima

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Newsletter
Questionário

Ponte 25 de Abril ou Ponte Salazar?

View Results

Carregando ... Carregando ...
Publicidade
Acerca
Bem-vindo ao HistóriaDePortugal.info, um portal informativo dedicado exclusivamente à História de Portugal.

Temos como objectivo ser o recurso mais completo na Internet sobre a História de Portugal.


Partilhar história
A História de Portugal está pouco divulgada na Internet. Ajude o HistoriaDePortugal.info a expandir através da partilha do seu conhecimento. Contamos com a sua ajuda!

Criar artigo