Partido Renovador Democrático

O Partido Renovador Democrático (PRD) foi um movimento político português criado em 1985 que contou com o apoio do General Ramalho Eanes, então Presidente da República de Portugal (Autor: Imagem em domínio público)

O Partido Renovador Democrático (PRD) foi um movimento político português criado em 1985 que contou com o apoio do General Ramalho Eanes, então Presidente da República de Portugal (Autor: Imagem em domínio público)

O Partido Renovador Democrático (PRD) foi um movimento político português criado em 1985 que contou com o apoio do General Ramalho Eanes, então Presidente da República de Portugal.

Surgiu como resposta ás políticas de austeridade impostas pelos dois partidos imperantes, o Partido Socialista e o Partido Social Democrata na coligação governamental do país dentre os anos 1983 até 1985, devindo assim numa terceira alternativa política.

Em 1985, logo de Portugal ter assinado o Tratado de Adesão à Comunidade Europeia, o Partido Social Democrata (PSD) pediu sua demissão do denominado Bloco Central, governo conjunto com o Partido Socialista (PS).

Depois disto o então Primeiro-Ministro formalizou sua demissão, para logo em sequencia ser dissolvida a Assembleia da República no mesmo ano, por decisão do Presidente da República.

Panorama Político da Época

Como solução democrática imediata para a crise o Partido Social Democrata exigiu ao Presidente Ramalho Eanes a convocatória de eleições antecipadas, prevista regularmente para 1986.

Neste tenso clima político Eanes viu a oportunidade perfeita para aproveitar a crise ao seu favor e criar um novo partido que se beneficiasse da ruptura do Bloco Central.

Portanto patrocinou a fundação de um novo partido, sob a liderança de Hermínio Martinho, que basearia sua proposta ideológica no postulado de moralização da vida política nacional, mas sem um projeto político claramente definido, constituindo-se como um movimento contra os partidos políticos estabelecidos, de evidente pensamento socialista e, sobretudo, criado para derrotar um inimigo comum, Mário Soares.

As condições políticas no momento permitiram que o Partido Renovador Democrático atingisse bons resultados eleitorais. Assim, os seus resultados nas eleições legislativas convocadas em 1985 foram do cerca do 18% da votação total, com quarenta e cinco lugares no parlamento, muito perto dos votos obtidos pelos partidos socialistas.

Este resultado revelou a mudança das preferências em Portugal e a importância do novo partido nas decisões futuras enquanto a estabilidade de um governo minoritário (visualizado na candidatura de Aníbal Cavaco Silva, como futuro Primeiro Ministro do Partido Social Democrata) ou bem para a formação de um governo consensual, na figura de Mário Soares, candidato do Partido Socialista e inimigo comum para derrotar dos dois partidos.

Desta maneira, Eanes nomeou formalmente Cavaco Silva como Primeiro Ministro, apoiando tacitamente o governo minoritário através da adesão do Partido Renovador Democrático ao novo Primeiro Ministro.

Partido Renovador Democrático e a Queda nas Preferências

Contudo, as debilidades e fraquezas e o ambíguo significado político do novo partido se observariam nas eleições locais de dezembro de 1985 ao conseguir só três lugares nas presidências municipais.

Posteriormente, ao garantir o apoio em conjunto com o Partido Comunista Português da candidatura de Francisco Salgado Zenha, o PRD é afastado da segunda volta ao obter um pobre resultado do 7,3% da votação total em contraste com o 25% de Soares, representando o Partido Socialista e o 45,8% de Freitas, candidato do Partido Social Democrata e do Partido do Centro Democrático Social (CDS).

A diferença dos planos do PRD de dividir a opinião da esquerda, Soares aproveitou então o voto deste setor e tirou disso para sua estratégia política da segunda volta, ganhando as eleições de forma apertada com um 50,8%  dos votos e assestando um grande e quase definitivo golpe no Partido Renovador Democrático.

Dissolução do Partido Renovador Democrático

De novo, em 1987 o PRD assumiu um papel protagónico no panorama político ao aprovar uma moção de censura no Parlamento com o fim último de desestabilizar o governo minoritário do Partido Social Democrático.

Porém, com a dissolução parlamentar e as novas eleições legislativas se reduziria de forma dramática o número de deputados do Partido na Assembleia que passaria a ter só sete lugares no Parlamento.

É assim que Ramalho Eanes assumiu a direção do Partido, mas com o desastre eleitoral cede o lugar para Martinho.

Em 1989 o PRD obteve só um lugar para as eleições do Parlamento Europeu, num acordo com o Partido Socialista, resultado que evidenciou ainda mais a fragmentação do movimento.

Para o ano de 1991 o partido perdeu a representação parlamentar, sendo finalmente dissolvido em 2000.

Não Encontrou o Que Estava Procurando? Tente o Google!

Marcados com: ,
Publicado em História de Portugal, Últimos
2 comentários sobre “Partido Renovador Democrático
  1. João correia disse:

    Querem alguma força zona Sintra falem comigo.sou a pessoa indicada pelo conhecimento que tenho e pessoas. Não tenho lude

  2. João correia disse:

    Não fiz a msg toda não sei porquê mas como estava a dizer não tenho lide partidária mas já chega tenho que zelar pelo país e pelos filhos deste. Obrigado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Newsletter
Questionário

Ponte 25 de Abril ou Ponte Salazar?

View Results

Carregando ... Carregando ...
Publicidade
Acerca
Bem-vindo ao HistóriaDePortugal.info, um portal informativo dedicado exclusivamente à História de Portugal.

Temos como objectivo ser o recurso mais completo na Internet sobre a História de Portugal.


Partilhar história
A História de Portugal está pouco divulgada na Internet. Ajude o HistoriaDePortugal.info a expandir através da partilha do seu conhecimento. Contamos com a sua ajuda!

Criar artigo