Parque de Nova Sintra (Porto)

O Parque de Nova Sintra localiza-se na Rua Barão Nova Sintra, na freguesia do Bonfim, no Porto.

Foi o antigo jardim de uma quinta da propriedade da família Wright, de origem britânica.

Foi inaugurado em 1932 e tem uma área de 2,75 hectares.

O Parque de Nova Sintra fica situado numa zona sobranceira ao rio Douro.

Por isso, tem uma ótima paisagem sobre a praia do Areinho, em Gaia.

Possui uma área verde constituída por 22 canteiros com várias espécies raras de vida arbórea.

O Parque de Nova Sintra possui uma grande área verde de 68.500 metros quadrados, onde prosperam espécies raras de vida arbórea.

É segmentado numa área com canteiros e noutra mais arborizada, mais sombria, com autênticos recantos românticos, tal como várias partes dos Jardins do Palácio de Cristal.

Possui mais ou menos quarenta espécies diferentes de árvores, que pertencem a 22 famílias do reino vegetal: exemplares de palmeiras, sabugueiros, carvalhos, magnólias e eucaliptos e muitas outras das mais variadas proveniências do mundo.

Parque de Nova Sintra na Atualidade

A quinta foi adquirida pela Câmara Municipal do Porto, em 1932, a fim de alojar os serviços do SMAS do Porto. Aqui se situa, atualmente, a sede das Águas do Porto.

Apresenta um ambiente calmo e tranquilo, apesar de a cidade estar mesmo ali, ao lado.

Parque de Nova Sintra (Autor: Ugo.sou)

Parque de Nova Sintra (Autor: Ugo.sou)

Tem uma rara beleza, combinando imensos exemplares de várias espécies arbóreas, com os seus chafarizes e as suas fontes, conferindo-lhe a fama de um dos mais belos parques da cidade.

Algumas Fontes e Chafarizes no Parque de Nova Sintra

Lá estão patentes algumas das mais vetustas e belas fontes e chafarizes que para lá foram transferidos.

O Brasão da Fonte de S. Domingos, de 1850, é uma fonte que substituiu o antigo chafariz do século XVI, no Largo de S. Domingos, que era muito belo, com 2 taças de 4 bicas cada uma, lançando a água para um tanque de bordos curvilíneos.

Já a fonte, edificada cerca de 1850, constituída por 2 bicas que saiam da boca de 2 golfinhos, tendo na parte superior o Brasão da Cidade do Porto: o Dragão emerge da coroa real, por cima do escudo do Porto, a Fortaleza da Cidade e suas instituições. Em 1922 desmontou-se a fonte e abriu-se a montra de uma casa comercial.

O Universo (4+3), de 1987, tem a autoria de Irene Vilar. Trata-se de uma escultura em bronze. Simboliza a totalidade do espaço e a totalidade do tempo.

Associando o número 4, que simboliza a Terra, com os seus 4 pontos cardeais e o número 3, símbolo do céu, e o número 7, a totalidade do Universo em movimento.

A Fonte da Cedofeita, de 1826, fonte singela e modesta. Recebia água do Manancial de Paranhos -Salgueiros, ate 1892.

A Fonte da Fontinha, de aspeto atraente, nasceu por a Fonte Seca ter… secado, sendo necessário abastecer de água a zona que esta servia.

Fonte do Ribeirinho ou dos Ablativos, de 1790, era uma fonte cuja água era abundante e ótima. Hoje, é composta por uma única bica, de onde a água verte para cair num tanque de forma arredondada.

Parece uma flor fechada. Num medalhão delicadamente trabalhado e envolvido por um cordão vegetatista, está a imagem de N. Sra. de Vandoma entre duas torres.

O Chafariz do Convento de Avé Maria é uma incógnita, ignorando-se a data da sua colocação nos Jardins dos SMAS. É um chafariz sóbrio e belo, realçado pelas plantas aquáticas que guarnecem o seu tanque.

A Primeira Fonte da Arrábida foi a primeira fonte pública do Monte da Arrábida.

Pensa-se que terá sido construída em 1863 e removida para os Jardins do SMAS em 1948, ano em que foi reconstruída.

A Fonte da Rua Garrett foi retirada da Rua Garrett, sendo impossível determinar a data da sua construção.

O Bebedouro da Praça Carlos Alberto, exemplar da Fundição do Bom Sucesso.

Tem duas taças, uma superior para os cavalos e outra inferior para cães e gatos, pois encontrava-se na Praça por influência da Sociedade Protetora dos Animais. No alçado oposto, há uma torneira para as pessoas beberem.

A Fonte do Campo Alegre tirava a água por uma bomba, nascendo a água em granito.

Esta fonte foi abandonada por falta de água. Foi transferida para as matas da SMAS a 31 de março de 1945.

A Fonte da Feira dos Carneiros ou Chafariz de Camões encontrava-se perto da Rua de Camões.

A Arca de Água de St. Isidro, é de arquitetura simples e graciosa, com teto em granito.

A sua água provinha do Manancial da Mitra, manancial que pertenceu aos prelados Diocesanos do Porto.

A Arca de água do Mercado do Anjo encontrava-se no antigo Mercado do Anjo, agora desaparecido, no local conhecido, hoje, por Praça de Lisboa. Foi transferido para a mata dos jardins do SMAS, em 1950.

Horário de Funcionamento do Parque de Nova Sintra

Encerra aos sábados e aos domingos. Contudo, pode estar acessível através de marcação prévia, mediante solicitação por escrito aos SMAS e sua autorização. Funciona das 9h 00 às 17h 30 horas.

Não Encontrou o Que Estava Procurando? Tente o Google!

Marcados com: , ,
Publicado em Parques de Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Newsletter
Questionário

Ponte 25 de Abril ou Ponte Salazar?

View Results

Carregando ... Carregando ...
Publicidade
Acerca
Bem-vindo ao HistóriaDePortugal.info, um portal informativo dedicado exclusivamente à História de Portugal.

Temos como objectivo ser o recurso mais completo na Internet sobre a História de Portugal.


Partilhar história
A História de Portugal está pouco divulgada na Internet. Ajude o HistoriaDePortugal.info a expandir através da partilha do seu conhecimento. Contamos com a sua ajuda!

Criar artigo