Palácio do Marquês de Pombal

O Palácio do Marquês de Pombal encontra uma outra denominação, a de Palácio do Conde de Oeiras.

O Palácio do Marquês de Pombal situa-se na freguesia de Oeiras e São Julião da Barra e a sua construção foi supervisionada pelo arquiteto húngaro Carlos Mardel.

O Palácio do Marquês de Pombal constitui um exemplo de referência da casa senhorial do século XVIII do estilo barroco e rococó.

O Palácio do Marquês de Pombal é considerado um marco da vila de Oeiras e um dos paços mais belos de Portugal, com grandes e curvilíneas escadarias de pedra.

História do Palácio do Marquês de Pombal

Na segunda metade do século XVIII, serviu de residência oficial a Sebastião José de Carvalho e Melo, o Conde de Oeiras e Marquês de Pombal.

O Palácio do Marquês de Pombal foi palco de veraneios do rei D. José I e da sua família, nos verões de 1775 e 1776.

Era nos jardins à volta do palácio que se davam os eventos culturais, como teatro, música e bailado, especialmente na estação quente.

Palácio do Marquês de Pombal (Autor: HistoriaDePortugal.info)

Palácio do Marquês de Pombal (Autor: HistoriaDePortugal.info)

Localizado no interior da vila, o edifício apresenta enormes dimensões, ornamentado como um palácio régio.

Localiza-se na grande quinta senhorial, com jardins magníficos, de inspiração fantasiosa. O palácio e os jardins possuem estuques, estátuas e azulejos, elementos arquitetónicos e artísticos muito raros e belos.

Formada pela incorporação de vários casais e quintas, a antiga quinta localizava-se perto da Ribeira da Laje, onde abundava terra fértil.

De traçado inicial com uma geometria rigorosa feita para estruturar a propriedade rural com os jardins e matas, mais recreativas.

Na denominada Quinta de Baixo encontrava-se o palácio, os jardins, o celeiro e a adega.

Estava ligada à Quinta de Cima ou Quinta Grande mediante um eixo central (a Avenida ou Rua dos Loureiros).

Na Quinta de Cima ficava a Casa da Pesca e a Cascata do Taveira. Esta propriedade era a eleita para fazer a reprodução do bicho-da-seda.

Numa terceira quinta, a Quinta do Marco, havia terrenos de cultivo, vinhas, olivais e árvores de fruto.

Era habitual, no século XVIII, a manutenção de quintas como espaços de lazer e de cultivo. No presente, só um edifício atesta a sua existência.

Com o passar do tempo, na 2.ª metade do século XX, a propriedade foi vendida e fraccionada.

Assim, a Quinta de Baixo foi comprada pela Fundação Calouste Gulbenkian; a Quinta de Cima foi comprada pelo Estado. Mais tarde, tornou-se na Estação Agronómica Nacional.

Os jardins têm marcos arquitetónicos típicos da cultura das Luzes, assim como a Cascata dos Poetas ou Gruta Nobre, com os bustos dos poetas preferidos de Pombal, como Camões e Virgílio. Também lá se encontram estátuas e cascatas, a Casa da Pesca e os antigos lagares do azeite e do vinho.

Ao lado da entrada para o palácio fica a Capela do Solar, dedicada a Nossa Senhora das Mercês, com 3 altares e a representação da vida da Virgem, concluída em 1762.

Atualmente, o Palácio, a Casa da Pesca e a Cascata estão classificados como Monumento Nacional.

Imagens do Palácio do Marquês de Pombal

Não Encontrou o Que Estava Procurando? Tente o Google!

Marcados com: ,
Publicado em Palácios de Portugal, Últimos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Newsletter
Questionário

Ponte 25 de Abril ou Ponte Salazar?

View Results

Carregando ... Carregando ...
Publicidade
Acerca
Bem-vindo ao HistóriaDePortugal.info, um portal informativo dedicado exclusivamente à História de Portugal.

Temos como objectivo ser o recurso mais completo na Internet sobre a História de Portugal.


Partilhar história
A História de Portugal está pouco divulgada na Internet. Ajude o HistoriaDePortugal.info a expandir através da partilha do seu conhecimento. Contamos com a sua ajuda!

Criar artigo