Oeiras

Oeiras é uma vila portuguesa localizada na freguesia de Oeiras e São Julião da Barra, é sede do Concelho de Oeiras e forma parte do Distrito de Lisboa.

É uma das vilas mais populosas de Portugal, após Algueirão-Mem Martins, Corroios e Rio de Mouro.

Está subdividida em dez freguesias: Algés, Barcarena, Carnaxide, Caxias, Cruz Quebrada-Dafundo, Linda-a Velha, Oeiras e São Juliã da Barra, Paço de Arcos, Porto Salvo e Queijas.

Oeiras situa-se na margem direita do estuário do Tejo, inserida na Costa do Estoril e Sintra.  Estas características geográficas de privilégio conferem à vila condições climáticas e marítimas para uso das praias e zonas ribeirinhas, além de um adequado ambiente ao ar livre para práticas esportivas e de lazer.

A vila tem suas origens no século XII, mas registra ocupação desde a Pré-história, evidenciada pela presença de vestígios e marcas proporcionadas pelas escavações arqueológicas.   Exemplo do anterior, o Castro Eneolítico de Leceia que apresenta um conjunto urbanístico e de estruturas defensivas do período conhecido como da Idade do Cobre, aproximadamente 2.500 a 1.800 a.C.  Outro exemplo de assentamento pré-histórico é a chamada Gruta da Ponte da Laje datada do Paleolítico à Idade do Ferro.

Dos períodos Romano e Árabe ainda persistem alguns registros, como o mosaico romano localizado na Rua das Alcássimas, topónimo de origem árabe,  e a Ponte Romana.

Designação de Vila e Estabelecimento do Concelho

O povoado foi elevado à categoria de Vila através da Carta Régia emitida pelo Rei D. José I em 7 de junho de 1759, onde outorgou a jurisdição das terras ou seu Primeiro-Ministro Sebastião José de Carvalho e Melo, Marquês de Pombal, e desde então primeiro Conde de Oeiras.

Oeiras é uma vila portuguesa localizada na freguesia de Oeiras e São Julião da Barra, é sede do Concelho de Oeiras e forma parte do Distrito de Lisboa (Autor: Wikicurious)

Oeiras é uma vila portuguesa localizada na freguesia de Oeiras e São Julião da Barra, é sede do Concelho de Oeiras e forma parte do Distrito de Lisboa (Autor: Wikicurious)

Desta época se destaca a construção da Quinta do Marquês de Pombal, um conjunto arquitetônico localizado no centro da vila formada pelos jardins, o palácio e algumas dependências agrícolas.  O conjunto se conserva praticamente em sua forma original.  Um mês depois da elevação da vila, o Concelho de Oeiras foi constituído, em Carta Régia datada de 13 de julho de 1759, sendo extinto em 1894 e restabelecido em 1898.

Casas de Férias e Banhos Reais

É a partir do século XIX que Oeiras se torna o local preferido pela monarquia e as elites portuguesas para ser frequentadas para as atividades de lazer, mas também para ser utilizadas como lugar de descanso por indicação médica.  Com os “banhos”, a vila passou a ser considerada um importante ponto de turismo, e consequentemente, começou a expansão da vila com a construção de moradias de recreio, sobretudo na zona litoral.

Posteriormente no século XX, com a construção da Estrada Marginal que ligou Lisboa com Cascais, a Vila de Oeiras observa a chegada de um alto fluxo de migrantes de todas as regiões do país, em grande parte de trabalhadores que precisavam morar perto de Lisboa.  Estando situada na área metropolitana da capital, a vila de Oeiras atraiu uma grande população nova e teve um desenvolvimento económico paralelo ao crescimento da cidade capital.

Com um pequeno período de decaimento económico em 1980, hoje em dia Oeiras apresenta um ressurgimento com um programa de capitalização orientado às atividades das ciências da comunicação e das novas tecnologias que fazem dela um eixo econômico autónomo e modelo de produção autossuficiente para outros municípios.  Oeiras é considerado um dos lugares mais ricos e desenvolvidos de Portugal e do continente europeu, por esta razão é apelidada a Sillicon Valley da Europa.

Valor Histórico de Oeiras

Atualmente Oeiras também é considerado um lugar de alto valor histórico e arquitetônico.

A administração municipal estabeleceu um Plano de Salvaguarda do Patrimônio Construído e Ambiental onde nomeia centro e trinta e quatro edificações como elementos patrimoniais para proteger, dentre os que destacam construções militares, religiosas, civis, industriais, palácios e quintas, museus e locais de férias, além do patrimônio natural e ambiental.

Imagens de Oeiras

Não Encontrou o Que Estava Procurando? Tente o Google!

Marcados com: , ,
Publicado em História de Portugal, Últimos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Newsletter
Questionário

Ponte 25 de Abril ou Ponte Salazar?

View Results

Carregando ... Carregando ...
Publicidade
Acerca
Bem-vindo ao HistóriaDePortugal.info, um portal informativo dedicado exclusivamente à História de Portugal.

Temos como objectivo ser o recurso mais completo na Internet sobre a História de Portugal.


Partilhar história
A História de Portugal está pouco divulgada na Internet. Ajude o HistoriaDePortugal.info a expandir através da partilha do seu conhecimento. Contamos com a sua ajuda!

Criar artigo