Marquês de Pombal

Sebastião José de Carvalho e Melo, primeiro Conde de Oeiras foi mais conhecido com o nome de Marquês de Pombal.

Nascido em Lisboa em 1699, foi um importante político, diplomata e antes de tudo o mais notável estadista e reformador na Europa na época.

Morreu em Pombal em 1782.  Recebeu os títulos de Conde de Oeiras em 1759 e de Marquês de Pombal em 1770.

Nascido em família nobre, quis fazer carreira de Direito na Universidade de Coimbra, mas a abandonou e preferiu a carreira militar, onde também rapidamente solicitou sua demissão.

Desta maneira Marquês de Pombal optou pela carreira diplomática.

Durante o governo do Rei D. João V e com a ajuda dos seus familiares ocupou o cargo de embaixador na Grã-Bretanha onde se considera que iniciou a etapa de formação do seu espirito reformador.  Sua missão em Londres não teve repercussões importantes, mas contribuiu para iniciar o aprendizado no que toca a seu trabalho diplomático.

Posteriormente, no ano de 1745 foi transladado a Viena, para tentar mediar na disputa conhecida historicamente como a Guerra de sucessão Austríaca, na que se discutia o futuro do Sacro Império Romano-Germánico.

Entre a Rainha da Áustria, D. Maria Teresa e o Papa Bento XIV se tinha criado um problema diplomático e foi sugerida a mediação dos reis portugueses.  Para a função de mediador foi escolhido com receio de ambas as partes o Marquês de Pombal.

Logo de uma série desafortunada de atrasos e confusões, assumiu o cargo muito convencido da impossibilidade de sua missão.  Só no momento em que o Rei Filipe V da Espanha morreu se deu bem sucedida sua empresa diplomática.

Quando voltou a Portugal, o Rei D. João V ainda continuava no poder, mas não lhe ofereceu nenhuma função.  Só no momento em que o Rei morreu e o filho D. José I ascende, foi chamado pela Coroa portuguesa para um novo cargo, o de Ministro dos negócios Estrangeiros e da Guerra.

Marquês de Pombal e o Terremoto de 1755

Em 1755 Marquês de Pombal já tinha sido nomeado o Primeiro-ministro do reino.  O dia 1º de novembro de 1755 seria a prova de fogo para o recém-nomeado.

Nesta data, Lisboa foi destruída depois de um forte tremor de terra, seguido de um maremoto e de vários incêndios.

Marquês de Pombal (Autor: Imagem em domínio público)

Marquês de Pombal (Autor: Imagem em domínio público)

A reação de Sebastião de Melo foi a imediata reconstrução da cidade e o atendimento da emergência sanitária.  Como consequência de sua atitude perante a tragédia, Lisboa foi levantada quase um ano depois do terremoto, sem a presença de epidemias.

Mandato de Marquês de Pombal

Utilizando os conhecimentos adquiridos em Londres, Marquês de Pombal implementou satisfatoriamente medidas e reformas para reproduzir o sucesso da economia inglesa em terras lusitanas.  Sebastião de Melo pretendia efetivar a racionalização administrativa, mas deixando o poder monárquico intato, conservando para isto elementos da política mercantilista.

Neste sentido, durante seu mando durante os anos de 1750 e 1777, o reino de Portugal foi um claro exemplo de política do tipo despótico esclarecido, forma de governo que mistura a monarquia absolutista com o racionalismo iluminista.

Aos poucos, o Rei concedeu maiores poderes ao Marquês, tornando-o um governante severo e rigoroso, características que criaram grandes inimizades com a classe nobre e criando-lhe muitos opositores.

O plano de reformas foi significativo e atingia todos os âmbitos do governo.

No econômico, buscava aprimorar a produção nacional perante a estrangeira, estabelecendo monopólios de mercado.

No campo religioso, foi muito discutida sua decisão de expulsar aos jesuítas de Portugal, com o fim de frear sua intervenção na sociedade portuguesa.

Na educação, com a saída da Companhia de Jesus, estabeleceu novos processos educativos sob o mando de instituições civis.

Já no tema social, regulou a autonomia da nobreza com o fim de favorecer a ascensão da classe burguesa.

Quando o Rei D. José I morreu é sucedido por D. Maria I, sendo a primeira disposição da Rainha a demissão e o desterro do Marquês, devido a que não concordava com as medidas impostas por ele durante seu mandato.

Não Encontrou o Que Estava Procurando? Tente o Google!

Marcados com: ,
Publicado em História de Portugal, Últimos
5 comentários sobre “Marquês de Pombal
  1. amílcar dos santos disse:

    são razoáveis estas informações sobre o M de Pombal, mas insuficientes.
    Mico

  2. A. Dimas disse:

    Bem que vocês poderiam oferecer sempre uma bibliografia adicional e curta (4 ou5 títulos) sobre o assunto.

  3. Rui Sousa disse:

    Boa tarde. O título Marquês de Pombal tem que ver com a cidade de Pombal? Por ter sido o local onde veio a falecer, ou por outro motivo? Já procurei e não consigo encontrar a ligação. Antecipadamente grato, e com os melhores cumprimentos.

  4. PilinhaGrande disse:

    Muito fixe ajudou muito

  5. Hugo Amorim disse:

    gosto muito do site simples mas com todas as informações necessárias gostei muito!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Newsletter
Questionário

Ponte 25 de Abril ou Ponte Salazar?

View Results

Carregando ... Carregando ...
Publicidade
Acerca
Bem-vindo ao HistóriaDePortugal.info, um portal informativo dedicado exclusivamente à História de Portugal.

Temos como objectivo ser o recurso mais completo na Internet sobre a História de Portugal.


Partilhar história
A História de Portugal está pouco divulgada na Internet. Ajude o HistoriaDePortugal.info a expandir através da partilha do seu conhecimento. Contamos com a sua ajuda!

Criar artigo