Grutas de Alvados

As Grutas de Alvados, localizadas no Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros na freguesia de Alvados, concelho de Porto de Mós, fazem parte do maciço calcário da província da Estremadura, que se encontra integrada num circuito de grande valor histórico e científico do centro de Portugal, cujo interesse turístico e paisagístico tem grande relevância tanto a nível nacional como internacional.

Envolvência das Grutas de Alvados

Bem próximo das Grutas de Alvados podemos observar em perfeita harmonia com uma vegetação característica desta região, as “casinas” (antigos abrigos de pastores) e também os muros de pedra solta que proliferam ao longo dos caminhos e na sede do concelho.

As Grutas de Alvados integram um parque natural no centro do país e, num raio de 50 km, existem ainda outras localidades cujo destino turístico é de grande valor histórico e arquitectónico, podendo-se visitar os belos e altaneiros castelos de Leiria, Óbidos, Porto de Mós, Santarém, Torres Novas, Almourol ou Ourém e ainda, o mosteiro da Batalha e os conventos de Alcobaça e Tomar.

Grutas de Alvados

Grutas de Alvados

Encontram-se situadas a 25 km do Santuário de Fátima, um local de culto religioso cuja dimensão ecuménica é sem igual no contexto mundial e que dispensa apresentações.

História das Grutas de Alvados

As grutas encontram-se divididas em dois corpos designados por “gruta velha” e “gruta nova”. A “gruta velha” já é conhecida há mais de quatrocentos anos, sendo que, j´nessa altura, era frequentemente utilizada pelos pastores locais que aí se abrigavam das intempéries.

A “gruta nova” foi descoberta por acaso em 1964, por um grupo de trabalhadores das pedreiras que, ficaram tão intrigados com a demora e a ressonância das pedras ao cair numa saliência que, munidos de cordas e lanternas, desceram até às profundezas e encontraram um mundo maravilhoso até aí desconhecido, passando a rapidamente espalhar a notícia do seu notável achado.

Uma vez divulgada a descoberta das grutas, surgiram diversas dificuldades, nomeadamente resultantes da necessidade de serem abertos dispendiosos e longos túneis e da criação de condições para serem realizadas visitas ao seu interior em condições de segurança.

É por issso que só muito mais tarde foram criadas todas estas condições e finalmente as grutas foram abertas ao público e inauguradas com a presença do Presidente da República de Portugal.

Foi necessário o esforço de centenas de homens que trabalharam duramente durante aproximadamente dois anos e meio para possibilitar a abertura dos dois túneis interiores de ligação e do túnel de saída, de modo a permitir aos visitantes observar o resultado e o trabalho realizado pela natureza, que através da acção físico-química das águas sobre os calcários, originou esta enorme variedade de formas características do modelo “cársico”.

Caraterísticas das Grutas de Alvados

As Grutas de Alvados são formadas por uma sucessão de salas e pequenos lagos desnivelados, existindo um acesso natural directo do exterior ao primeiro grupo de três salas elevadas, sendo que o seu percurso se vai desenvolvendo em forma de túnel ou corredor natural e que vai mostrando vários “algares” monumentais que são característicos desta zona, tronando-se por vezes e de forma inesperada mais largos, ou então desnivelando-se de repente quer em pequenas, quer em profundas cavernas.

Gruta de Alvalados

Gruta de Alvalados

As Grutas de Alvados são compostas de múltiplas salas e pequenos lagos naturais, onde a perfeita harmonia das “estalactites” e “estalagmites” cujas formas muito delicadas e contornos rendilhados são realçadas por uma iluminação adequada à preservação da sua beleza natural.

Além disso, para além da riqueza das suas formações quase esculturais, encontram-se também no interior das grutas belas formações “oolíticas” características do subsolo desta região, cujas formações calcárias e pequenos lagos naturais tornam a sua visita obrigatória, para que se possa admirar o trabalho executado pela natureza ao longo de mais de 50.000 anos.

As grutas são servidas por um amplo edifício de apoio, sendo que a visita inicia-se pela entrada exterior a norte e termina num túnel artificial com cerca de 100 m de comprimento.

No entanto é o seu percurso em forma de corredor e também os contínuos “algares” com alturas invulgares, que leva os especialistas etambém o público em geral a considerar esta gruta como uma das mais características da península ibérica.

O comprimento visitável das grutas é de 450 m, sendo a sua largura máxima entre salas de cerca de 75 m e com uma altura interior que chega aos 95 m, existindo porém vários pontos de ventilação natural, que fazem com que durante todo o ano o interior da gruta se mantenha numa temperatura amena inalterável.

Não Encontrou o Que Estava Procurando? Tente o Google!

Marcados com: ,
Publicado em Grutas de Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Newsletter
Questionário

Ponte 25 de Abril ou Ponte Salazar?

View Results

Carregando ... Carregando ...
Publicidade
Acerca
Bem-vindo ao HistóriaDePortugal.info, um portal informativo dedicado exclusivamente à História de Portugal.

Temos como objectivo ser o recurso mais completo na Internet sobre a História de Portugal.


Partilhar história
A História de Portugal está pouco divulgada na Internet. Ajude o HistoriaDePortugal.info a expandir através da partilha do seu conhecimento. Contamos com a sua ajuda!

Criar artigo