António de Sommer Champalimaud

António de Sommer Champalimaud foi um destacado empresário português que nasceu em Lisboa, em 19 de Março de 1918 e faleceu em Lisboa, em 8 de maio de 2004.

Dotado de uma personalidade polémica, foi uma figura carismática na história económica do século XX português.

Diversas vezes foi citado como o homem mais rico do país. Era possuidor de uma fortuna estimada em 1,3 mil milhões de euros. Figurou na lista dos multimilionários da revista norte-americana, Forbes, em 2004, como ocupando a 153º posição do ranking.

Terá edificado o seu império empresarial aquando da ditadura do Estado Novo, gozando da proteção de Salazar. Dinamizou os seus negócios em Angola, Moçambique e no Brasil, onde possuiu outro império empresarial, no tempo da ditadura militar.

O seu império foi estatizado pelo Governo de Vasco Gonçalves.

Biografia de António de Sommer Champalimaud

Em 19 de Março de 1918, na freguesia da Lapa, em Lisboa, nasceu António de Sommer Champalimaud, primeiro filho de um médico militar, grande proprietário e produtor de vinhos do Douro.

O seu pai era descendente de uma família de Fidalgos da Casa Real. A sua mãe era neta de um barão alemão, radicado em Lisboa, comerciante de ferro.

Estudou no colégio jesuíta A Guarda, na Galiza.

Ingressou na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, onde frequenta o curso de Ciências Físico-Químicas.

António de Sommer Champalimaud foi um destacado empresário português que nasceu em Lisboa, em 19 de Março de 1918 e faleceu em Lisboa, em 8 de maio de 2004 (Autor: Bottelho)

António de Sommer Champalimaud foi um destacado empresário português que nasceu em Lisboa, em 19 de Março de 1918 e faleceu em Lisboa, em 8 de maio de 2004 (Autor: Bottelho)

Em 1937, com a morte do pai, entra no mundo dos negócios, assumindo vigorosamente a empresa do pai, tecnicamente falida. Sendo o filho mais velho de 4 irmãos, queria salvar a herança do seu progenitor, para o que contou com a ajuda de Ricardo Espírito Santo, conseguindo um crédito de confiança para essa dívida, no valor de 13 mil contos.

Em 1941, casa-se com Maria Cristina de Mello, herdeira de uma das grandes fortunas do país. Do casamento nasceram 7 filhos, de 1942 a 1952.

Vida Empresarial de António de Sommer Champalimaud

Com apenas 24 anos, tomou posse da administração da Empresa de Cimentos de Leiria, do seu tio, Henrique de Sommer, que faleceu em 1944. Com o falecimento do tio, herdou grande parte dos seus bens.

Foi responsável pela dinamização da exportação de vinho do Porto.

Foi o responsável pelos primeiros projetos de urbanização, em Cascais, na Quinta da Marinha, de acordo com os planos do seu pai, datados de 1920.

Os seus grandes negócios eram, então:

– materiais de construção;

– imobiliário;

– exportação de vinhos.

Mediante empréstimos da casa Bancária José Henriques Totta, de gestão de Manuel de Mello, seu sogro, e com a ajuda de Salazar adquiriu a empresa Cimentos Tejo, possuidora do maior forno de cimento do mundo.

Da mesma forma se procedeu para a Companhia de Carvões e Cimentos do Cabo Mondego.

Em 1952, ano em que se juntou ao grupo CUF, em Angola, fundou a Companhia de Cimentos de Angola, bem como mandou construir a Fábrica do Lobito. Fundou a Fábrica de Nova Maceira, no Dondo, em 1951 e a Fábrica de Ncala em 1963.

Em Moçambique, comprou a Fábrica de Cimentos Portland, sediada na Matola.

Em 1954, António de Sommer Champalimaud fundou a Siderurgia Nacional.

Em 1955, Salazar publicou um alvará, onde se atribuía à empresa a exclusividade da exploração, por 10 anos, de vários minérios.

Investiu na indústria da celulose com a Companhia de Papel do Prado e da Abelheira, acumulando, também, a participação na Companhia Industrial Portugal e Colónias; Fábrica de Cerveja Portugália e o Hotel Penta.

Como as suas empresas eram as maiores clientes dos bancos e seguradoras Espírito Santo, tenta comprar o grupo, mas sem sucesso. Tentou 3 vezes comprar o Banco Português do Atlântico.

Em 1960, tornou-se no maior acionista do BPSM, adquire a companhia de seguros “A Confiança”. Participa n´A Mundial e Continental Seguros. Fundou as companhias Mundial e Confiança de Moçambique. O BPSM transformou-se no maior banco privado de Angola e Moçambique.

Em 1973, António de Sommer Champalimaud volta do México, na sequência de uma contestação dos seus irmãos face à herança Sommer, de que sai ilibado.

Na Revolução de Abril de 1974, António de Sommer Champalimaud deixa o país, para evitar a estatização do seu património de Vasco Gonçalves, num património avaliado em cerca de 40 milhões de contos.

Em março de 1975, tem a banca e os seguros nacionalizados; em abril são nacionalizadas a siderurgia, as cimenteiras e as celuloses em Maio.

No Brasil, mediante a atividade agrícola, criação de gado e produção de cimento recupera a sua fortuna.

Em 1922, regressa a Portugal, e adquire 51% da Mundial Confiança, o Banco Pinto & Sotto Mayor, assumiu o controlo dos bancos Totta & Açores e do Crédito Predial Português, na sequência da privatização das empresas públicas do governo de Cavaco Silva.

Champalimaud fechou negócio com o presidente do Banco Santander, espanhol, para a venda do património bancário e segurador, tendo ficado como acionista de referência do capital do maior banco espanhol.

Em 1999, tentou negociar com o banco Santander Central Hispano as suas posições nacionais na banca e no ramo dos seguros, o que foi vetado pelo Governo português.

Após alguns impasses, vende o seu património financeiro e regressou ao Brasil, com fazendas agrícolas e pecuárias, abandonando os seus negócios em Portugal.

Legado de António de Sommer Champalimaud

Em 2004, ser-lhe-ia atribuída a Ordem da Liberdade, por Jorge Sampaio, mas estaria já demasiado doente com cancro.

No testamento legou 500 milhões de euros, a fim de criar uma fundação em Portugal para a investigação na área da investigação biomédica. Tem o nome de Fundação D. Anna de Sommer Champalimaud e Dr. Carlos Montez Champalimaud, denominação para homenagear os seus pais.

Não Encontrou o Que Estava Procurando? Tente o Google!

Marcados com: ,
Publicado em Empresários de Portugal
2 comentários sobre “António de Sommer Champalimaud
  1. Joaquim Gonçalves disse:

    Se existissem hoje em Portugal 6 homens desta estatura não haveria os milhares de desempregados que existem e a nossa economia seria completamente mais positiva.

  2. Carlos disse:

    Nasceu em 1918, teve uma série de negócio e “Em 1922, regressa a Portugal, e adquire 51% da Mundial Confiança, o Banco Pinto & Sotto Mayor, assumiu o controlo dos bancos Totta & Açores e do Crédito Predial Português, na sequência da privatização das empresas públicas do governo de Cavaco Silva.” Ai jornalismo!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Newsletter
Questionário

Ponte 25 de Abril ou Ponte Salazar?

View Results

Carregando ... Carregando ...
Publicidade
Acerca
Bem-vindo ao HistóriaDePortugal.info, um portal informativo dedicado exclusivamente à História de Portugal.

Temos como objectivo ser o recurso mais completo na Internet sobre a História de Portugal.


Partilhar história
A História de Portugal está pouco divulgada na Internet. Ajude o HistoriaDePortugal.info a expandir através da partilha do seu conhecimento. Contamos com a sua ajuda!

Criar artigo