Álvaro Guerra

Álvaro Guerra foi um escritor romancista e diplomata português, licenciado em Direito pela Faculdade de Direito de Lisboa.

Nasceu em Vila Franca de Xira a 19 de Outubro de 1936 e o seu nome verdadeiro era Manuel Soares, usando Álvaro Guerra como nome literário.

Álvaro Guerra foi também o fundador do jornal “A Luta”, além de ter sido ficcionista, poeta, ensaísta e diplomata.

Obra Literária de Álvaro Guerra

Foi no ano de 1966 que Álvaro Guerra se estreou com a publicação do romance “Os Mastins”, cujo prefácio foi redigido por Alves Redol, que a dado momento refere que “Em certas épocas o local onde se nasce ou se cresce para a vida, mesmo que tal ocorra já na idade adulta, conta mais do que os liames do sangue.

Vila Franca de Xira é um desses lugares.” Logo desde a publicação desse primeiro romance, a crítica assinalou a presença de um poderoso e original autor de ficção cuja trajectória, que é repartida por múltiplos e cruzados endereços, acaba por enriquecer semanticamente a obra.

Imagem de Álvaro Guerra (Autor: Imagem em domínio público)

Imagem de Álvaro Guerra (Autor: Imagem em domínio público)

Álvaro Guerra, um coerente defensor do socialismo democrático,  valeu-se da sua vasta experiência em diversos campos da vida, tais como a guerra colonial na Guiné, onde foi ferido em combate, os seus tempos de Paris, cidade onde chegou a viver durante cerca de três anos, o seu envolvimento ativo na preparação do golpe militar levado a cabo em 25 de Abril de 1974, a situação que foi criada no jornal “República”, que acabou por se converter num símbolo de resistência democrática após a demissão, pela força, do corpo redactorial em 1975, a fundação do jornal “A Luta”, o tempo que trabalhou como Diretor de Programas da Radiotelevisão Portuguesa, o período em que foi assessor do presidente Ramalho Eanes e os seus périplos diplomáticos, para angariar um valioso capital de experiência que passou a usar nos seus textos ora violentamente sarcásticos, ora veementemente solidários, entrando assim em rutura com os cânones formais do neo-realismo mas em consonância com os seus objectivos.

Assim, a lição do novo romance, na forma temporal fragmentada da narrativa servida por um contínuo verbal muito dinâmico, acaba por movimentar a escrita do jovem autor, escrita essa que atinge, talvez, a sua expressão mais autêntica no seu romance, publicado em 1970, intitulado “A Lebre”, que foi considerado o melhor livro de ficção publicado em 1970.

Nesse romance é contado o caso de uma mulher que logra escapar-se das malhas do poder marialva e machista de pai e filho que é ficcionado a par da história de uma lebre em fuga perante dois galgos, igualmente pai e filho e igualmente frustrados no seu ataque cego aquém parece ser o mais fraco. A simbologia desta obra é óbvia, sendo no entanto a articulação dos planos espacio-temporais considerada, naquela época, como uma novidade.

Existem ainda três obras de Álvaro Guerra que ficaram conhecidas como a “trilogia dos cafés”, com os temas “Café Républica”, “Café central” e “Café 25 de Abril”, que cobrem um período conturbado da história de Portugal, com começo na I República e término no 25 de Abril de 1974. É interessante que o rigor cronológico destas obras contrasta com o uso do tempo observado nos trabalhos anteriores.

A obra “O Disfarce” acaba no entanto por ser o seu livro mais deliberadamente comprometido com a denúncia da guerra colonial, tendo sido traduzido em França em conjunto com a sua primeira obra “Os Mastins”.

Reconhecimento Nacional e Internacional de Álvaro Guerra

Algumas das obras de Álvaro Guerra tornaram-se objectos de estudo em algumas universidades portuguesas e estrangeiras. Álvaro Guerra recebeu diversas condecorações, entre as quais a Grã Cruz da Ordem do Infante D. Henrique, a Grã Cruz da Ordem de Benemerência, a Grande Oficial da Ordem da Liberdade, a Ordem da Bandeira Vermelha da Jugoslávia, a Ordem da Bandeira Vermelha da Jugoslávia com palma e cordão, e Comendador da Ordem do Leopardo do Zaire.

Não Encontrou o Que Estava Procurando? Tente o Google!

Marcados com: ,
Publicado em Escritores Portugueses, Últimos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Newsletter
Questionário

Ponte 25 de Abril ou Ponte Salazar?

View Results

Carregando ... Carregando ...
Publicidade
Acerca
Bem-vindo ao HistóriaDePortugal.info, um portal informativo dedicado exclusivamente à História de Portugal.

Temos como objectivo ser o recurso mais completo na Internet sobre a História de Portugal.


Partilhar história
A História de Portugal está pouco divulgada na Internet. Ajude o HistoriaDePortugal.info a expandir através da partilha do seu conhecimento. Contamos com a sua ajuda!

Criar artigo