A Constituição de 1933

Após o golpe militar que em 1926 acabou com a República Democrática Portuguesa e que seria, ao fim e ao cabo, a base do Estado Novo, o regime autoritário que começou a governar o país esperou até 1933, já António de Oliveira Salazar estava no poder, para apresentar e aprovar a Constituição de 1933.

História de Constituição de 1933

Fruto de um elaborado e planeado estudo feito ao longo de mais de um ano por um grupo de professores de direito convidados pessoalmente pelo próprio António de Oliveira Salazar, o novo documento foi promulgado a 22 de Fevereiro e aprovado em plebiscito em 19 de Março de 1933.

Para muitos especialistas a nova Constituição de 1933 é, de facto, o verdadeiro instrumento de desenvolvimento, estruturação e implantação do Estado Novo, uma espécie de manual de instruções a partir do qual o regime baseava, fundamentava e legitimava uma governação autoritária e repressiva feita à medida das ideias de Salazar.

A Constituição de 1933 é fruto de um elaborado e planeado estudo feito ao longo de mais de um ano por um grupo de professores de direito convidados pessoalmente pelo próprio António de Oliveira Salazar (Autor: Imagem em domínio público)

A Constituição de 1933 é fruto de um elaborado e planeado estudo feito ao longo de mais de um ano por um grupo de professores de direito convidados pessoalmente pelo próprio António de Oliveira Salazar (Autor: Imagem em domínio público)

O corporativismo, a doutrina social da igreja e os ideais nacionalistas deram origem à Constituição de 1933 que preparava o terreno para mais de 4 décadas de ditadura.

Da sua essência faziam parte, entre outros, pontos como a abolição dos Governadores-Gerais das colónias de forma a unificar a Nação e a aumentar o território nacional; o estabelecimento de um governo de ideologia Nacionalista com o poder assente nas Forças Armadas; a criação da Assembleia Nacional, um órgão legislativo onde apenas tinha assento um partido e que foi criada com o intuito de promover uma maior representação popular nas Leis; a junção da Presidência com o Conselho de Ministros, criando assim um Poder Executivo com poderes bastante amplos e musculados e a criação de uma Câmara Corporativa com o objectivo de fixar a ideologia nacional.

No entanto, e pese embora todos estes aspectos de carácter totalitarista, a Constituição de 1933, na sua versão final sufragada em Março do mesmo ano, viria a revelar-se menos anti-liberal, menos anti-parlamentar e menos anti-democrática que os próprios pressupostos ideológicos reaccionários do Estado Novo, um erro de semântica que a prática do regime, no dia-a-dia, se encarregaria de corrigir, tornando muito mais vivas as suas arestas.

De facto, o documento viria a vigorar até ao golpe militar que derrubou o Estado Novo em 25 de Abril de 1974 e durante os 41 anos em que esteve em vigor foram várias as revisões constitucionais e emendas de que foi alvo.

De entre estas, uma das mais significativas aconteceu em 1959, altura em que a eleição do Presidente da República passa a ser feita por sufrágio indirecto.

Desta forma corrige-se uma situação até aí incómoda.

Pese embora a Constituição de 1933 preconizasse uma subalternização do Presidente do Conselho ao Chefe de Estado, na prática, era o Presidente da República que respondia perante Oliveira Salazar.

Constitucionalmente, o regime corria o risco de ser afrontado por um Presidente da República menos propenso a colaborar, um fantasma que foi afastado com a instituição da eleição por sufrágio indirecto que, na prática, permitia a indicação para o cargo de homens de absoluta confiança que, caso dessem problemas, seriam fácil e simplesmente afastados e substituídos.

Não Encontrou o Que Estava Procurando? Tente o Google!

Marcados com: ,
Publicado em História de Portugal, Últimos
2 comentários sobre “A Constituição de 1933
  1. Vila Real Silva disse:

    Não são 40 décadas mas sim 4.

  2. HistoriaDePortugal.info disse:

    @ Vila

    Certo. Foi um erro da nossa parte. Obrigado pelo aviso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Newsletter
Questionário

Ponte 25 de Abril ou Ponte Salazar?

View Results

Carregando ... Carregando ...
Publicidade
Acerca
Bem-vindo ao HistóriaDePortugal.info, um portal informativo dedicado exclusivamente à História de Portugal.

Temos como objectivo ser o recurso mais completo na Internet sobre a História de Portugal.


Partilhar história
A História de Portugal está pouco divulgada na Internet. Ajude o HistoriaDePortugal.info a expandir através da partilha do seu conhecimento. Contamos com a sua ajuda!

Criar artigo